fbpx

Compartilhe
Pin It

Por Hora do Povo 

Inexistência do auxílio em janeiro (e também fevereiro) denuncia que a população mais pobre está comendo menos ou não tendo o que comer. Agora, o emergencial de R$ 250 proposto por Bolsonaro não paga nem metade da Cesta Abrasmercado de R$ 636,40

supermercados160321Foto: Agência Brasil

As vendas nos supermercados despencaram 18,45% em janeiro na comparação com o mês de dezembro, segundo dados da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS).

Na comparação com janeiro de 2020, a vendas cresceram 12%, segundo a pesquisa divulgada na quinta-feira (11). No acumulado de um ano, o índice de consumo da Abras mostrou ainda uma alta de 12%. As varrições do período foram marcadas pelo impacto da pandemia, o isolamento social e o auxílio emergencial que favoreceram as compras nos supermercados. As comparações foram feitas com valores deflacionados pelo Índice de preços ao consumidor (IPCA) do IBGE.

A ABRAS divulgou que a Cesta Abrasmercado, composta por 35 produtos, aumentou 0,22% em relação a dezembro atingindo em média 636,40 em janeiro. Esse valor é 24,40% maior do que o custo da cesta em janeiro de 2020, confirmando a aceleração descontrolada nos preços dos produtos mais necessários para as famílias.

<a href=

A região Norte apresentou a cesta Abrasmercado com maior custo entre as cinco regiões do país (R$ 715,55), com um acréscimo de 1,42% sobre o mês anterior. Para a região Sudeste, que concentra o maior percentual de habitantes, a pesquisa calculou o custo da cesta em R$ 619,39. A região Sul com R$ 691,85 ficou com o custo acima da média nacional. No Nordeste, a cesta da Abrasmercado em janeiro custou R$ 550,95 e no Centro-Oeste R$ 604,25. Nas duas regiões, a cesta teve um custo menor do que a média nacional, mas também com as menores rendas per capita.

AUXÍLIO EMERGENCIAL SÓ EM ABRIL

Ainda que a cesta da Abras não seja como a cesta básica de alimentos divulgada pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), que também está bem acima de R$ 600, todas estão bem distantes do miserável auxílio emergencial de R$ 250 proposto pelo governo Bolsonaro para fazer frente ao agravamento da pandemia e da crise econômica.

Ao divulgar o Índice Nacional de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA) de fevereiro, a inflação oficial, o gerente da pesquisa do IBGE, Pedro Kislanov, considerou que o fim do auxílio emergencial às famílias mais carentes diminuiu a procura por itens essenciais, como o arroz.

“O arroz pode ter a questão do auxílio emergencial. Estamos desde janeiro sem. Em janeiro e fevereiro a gente não teve auxílio, houve redução na demanda doméstica pelo arroz”, disse Kislanov. Mas alertou que “desde novembro, os preços dos alimentos continuam subindo”.

O auxílio emergencial foi cortado em dezembro e Bolsonaro promete só retornar o auxílio em abril por menos da metade, por apenas quatro meses e para metade dos que foram beneficiados.

Por outro lado, a inflação dos alimentos triplicou, o gás de cozinha aumentou, o desempregou bateu novo recorde e a pandemia está exigindo mais restrições das atividades econômicas, assim como mais medidas emergenciais de apoio às empresas, aos trabalhadores, principalmente os que perderam renda e não encontram espaço, nem mesmo, no mercado informal de trabalho, estando completamente desamparados.

 

 

 

 

FONTE: https://horadopovo.com.br/corte-no-auxilio-faz-despencar-vendas-nos-supermercados-1845/

 

Comments fornecido por CComment

DO SEU INTERESSE

Curiosidades

INDÚSTRIA E COMÉRCIO

Recente no Site

Mariana Fonseca Governo estadual também anunciou que Fase de Transição segue e detalhou apoio a...
DW.COM Kathlen Romeu, de 24 anos, foi baleada durante um tiroteio entre policiais e criminosos na...
Correio24Horas É o segundo ano consecutivo que a festa não pode acontecer Aglomeração e São João...

Notícias Nacionais

Parceiros & Apoiadores

Notícias Gastronomia

Letícia Taets - Revista Seleções O mês de junho chegou e com ele os festejos juninos! Preparando tudo para fazer a sua festa em casa, não pode faltar a tradicional paçoca de amendoim. Mas já...

Redação casa.com.br Com o Dia dos Namorados se aproximando, é uma boa hora para ir treinando as habilidades culinárias para preparar um prato cheio de amor e corações para aquele alguém...

Maria Fernanda Ziegler, da Agência Fapesp Quando se trata de ganhar massa e força muscular, é mais importante atentar para a quantidade de proteína ingerida do que para a origem do nutriente....

Guia da Cozinha Em mês de Festa Junina e dias frios, nada melhor do que um caldo verde para se aquecer e entrar no clima de São João. Esse prato tradicional é tão versátil quanto delicioso, por...

RELIGIÃO

Fernando Rossit O fenômeno se traduz por uma estranha impressão de já ter vivenciado a cena presente e mesmo saber o que se vai passar em seguida, ainda que a situação que esteja a ser vivida seja inédita. Conhecido como déjà vu, ou paramnesia...

Helio & Deise Peixoto “…não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, e as que se não veem são eternas.” 2 Coríntios 4:18 {loadposition apoiador-estilo-vida} Mesmo sendo...

Frei Luiz Iakovacz Nas celebrações dominicais, leem-se três leituras bíblicas, das quais a primeira é sempre extraída do AT. No Tempo Pascal, porém, tanto nos dias de semana como nos domingos, proclama-se Atos dos Apóstolos. Com isso, a Igreja...

ESTILO DE VIDA

Divulgação

Don't have an account yet? Register Now!

Sign in to your account