fbpx

Compartilhe
Pin It

Fabiana Cambricoli

Presidente da biotech chinesa teria pago U$ 83 mil a ex-agente público para acelerar a aprovação de vacinas da companhia entre 2002 e 2011

sinovac041220Unidade da Sinovac em Pequim 24/09/2020 REUTERS/Thomas Peter/File Photo - Foto: Reuters

SÃO PAULO - O presidente da Sinovac, Weidong Yin, admitiu ter pago propina a um ex-oficial da agência regulatória de medicamentos chinesa entre 2002 e 2011 para acelerar a aprovação de vacinas no órgão governamental, segundo reportagem publicada nesta sexta-feira, 4, pelo jornal americano Washington Post feita com base em documentos da Justiça da China. A companhia biofarmacêutica é a parceira do Instituto Butantã no desenvolvimento da vacina Coronavac.

A suspeita de pagamento de propina por Yin já havia sido revelada pelo Estadão em novembro, em reportagem especial sobre a biotech chinesa. Na ocasião, porém, documentos da empresa apontavam que o executivo não foi condenado por nenhum ato ilícito nem pela Justiça chinesa nem pelo Departamento de Justiça dos EUA, que abriu investigação na época pelo fato de a empresa ter capital aberto na bolsa americana.

O que foi revelado agora pelo Washington Post são trechos do depoimento do próprio Yin admitindo o pagamento. De acordo com o jornal, o executivo afirmou que pagou US$ 83 mil ao ex-oficial da agência chinesa Yin Hongzhang e à sua esposa.

No período do pagamento da propina, a Sinovac conseguiu o registro de vacinas como a da gripe H1N1 e a de hepatite, mas, segundo a reportagem do jornal americano, não houve nenhum escândalo relacionado à segurança e qualidade das vacinas aprovadas no período nem nenhuma irregularidade referente ao desenvolvimento da Coronavac.

Ainda não está claro, no entanto, por que o CEO não foi formalmente acusado nem condenado mesmo confessando o pagamento de suborno. Não se sabe se ele foi considerado vítima de achaque por parte de agentes públicos ou se fez algum acordo com a Promotoria chinesa para não sofrer sanções caso colaborasse com a investigação.

Em relatório da empresa para investidores obtido pelo Estadão, a Sinovac diz apenas que "Weidong Yin não foi acusado de qualquer crime ou conduta imprópria" e que "cooperou como testemunha com a Procuradoria". A empresa afirma ainda que "para o nosso conhecimento, as autoridades chinesas não iniciaram nenhum processo legal ou inquérito governamental contra Yin".

Segundo o Washington Post, o executivo justificou, no depoimento, que "não poderia negar pedidos de dinheiro por parte de um oficial da agência regulatória". O servidor da agência chinesa foi acusado de cobrar suborno de vários membros da indústria de vacinas chinesa. Ele foi condenado a dez anos de prisão.

O Estadão tenta, desde o final de outubro, entrevistar um representante da Sinovac para comentar as suspeitas contra o executivo da empresa e outros problemas de gestão revelados pela reportagem de novembro. Foram inúmeros e-mails, ligações e até pedidos para que o Butantã e a Embaixada da China intermediassem a conversa. Até hoje, a reportagem não recebeu uma única resposta aos pedidos enviados.

Ao Washington Post, a companhia também negou o pedido de entrevista com o presidente, mas afirmou, em nota, que a empresa "confiou ao sistema jurídico o tratamento adequado dos casos anteriores de suborno" e que a "capacidade do CEO em fazer seu trabalho não foi afetada".

O Instituto Butantã foi procurado pelo Estadão para comentar as acusações contra o presidente da Sinovac, mas ainda não respondeu.

 

 

 

 

FONTE: https://www.terra.com.br/noticias/mundo/presidente-da-sinovac-teria-pago-propina-a-autoridades,2b0bc7faf8b8cf005ab550de3dadeacd6evxxbpt.html

Comments fornecido por CComment

DO SEU INTERESSE

Curiosidades

INDÚSTRIA E COMÉRCIO

Recente no Site

Mariana Fonseca Governo estadual também anunciou que Fase de Transição segue e detalhou apoio a...
DW.COM Kathlen Romeu, de 24 anos, foi baleada durante um tiroteio entre policiais e criminosos na...
Correio24Horas É o segundo ano consecutivo que a festa não pode acontecer Aglomeração e São João...

Notícias Nacionais

Parceiros & Apoiadores

Notícias Gastronomia

Letícia Taets - Revista Seleções O mês de junho chegou e com ele os festejos juninos! Preparando tudo para fazer a sua festa em casa, não pode faltar a tradicional paçoca de amendoim. Mas já...

Redação casa.com.br Com o Dia dos Namorados se aproximando, é uma boa hora para ir treinando as habilidades culinárias para preparar um prato cheio de amor e corações para aquele alguém...

Maria Fernanda Ziegler, da Agência Fapesp Quando se trata de ganhar massa e força muscular, é mais importante atentar para a quantidade de proteína ingerida do que para a origem do nutriente....

Guia da Cozinha Em mês de Festa Junina e dias frios, nada melhor do que um caldo verde para se aquecer e entrar no clima de São João. Esse prato tradicional é tão versátil quanto delicioso, por...

RELIGIÃO

Fernando Rossit O fenômeno se traduz por uma estranha impressão de já ter vivenciado a cena presente e mesmo saber o que se vai passar em seguida, ainda que a situação que esteja a ser vivida seja inédita. Conhecido como déjà vu, ou paramnesia...

Helio & Deise Peixoto “…não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, e as que se não veem são eternas.” 2 Coríntios 4:18 {loadposition apoiador-estilo-vida} Mesmo sendo...

Frei Luiz Iakovacz Nas celebrações dominicais, leem-se três leituras bíblicas, das quais a primeira é sempre extraída do AT. No Tempo Pascal, porém, tanto nos dias de semana como nos domingos, proclama-se Atos dos Apóstolos. Com isso, a Igreja...

ESTILO DE VIDA

Divulgação

Don't have an account yet? Register Now!

Sign in to your account